<p>"Este é um momento histórico para o desporto nacional e para a canoagem em especial", disse o presidente da federação</p>

"Este é um momento histórico para o desporto nacional e para a canoagem em especial", disse o presidente da federação

Foto: Luis Acosta/AFP
Canoagem

Família da canoagem festeja medalha e reclama maior atenção e apoios

A família da canoagem dividiu hoje os festejos da medalha de prata do K2 1000 metros Fernando Pimenta/Emanuel Silva nos Jogos Olímpicos com o apelo a uma maior atenção e apoios à modalidade que tem brilhado em Londres 2012.


"Este é um momento histórico para o desporto nacional e para a canoagem em especial. Demonstra a garra que estes atletas têm e o que a modalidade tem trazido ao país", diz Marcos Oliveira, secretário-geral da federação, recordando as três finais em quatro provas e o pódio já garantido.

Os abraços efusivos entre os vários agentes e amigos da modalidade reunidos na sede da federação, no cais de Quebrantões, em Vila Nova de Gaia, traduziam "o resultado de muitos anos de trabalho, raramente com os meios ideais".

Marcos Oliveira, um dos apenas dois funcionários da federação (excluindo os três treinadores), recorda "as muitas horas de sacrifícios de todos os que contribuíram para este resultado".

João Ribeiro, da selecção, mas que falhou o apuramento em K1 200, estava "radiante": "Foram duas grandes finais, o sexto lugar das raparigas é muito bom. O K2 é uma medalha. Isto é claramente um virar para a canoagem, para ter maior visibilidade. Desde Atenas 2004 que a federação trabalha para grandes resultados. Nestes últimos quatro anos houve um esforço evidente de todos para conquistar medalhas e finais. Foram quatro anos de grande esforço e dedicação de todos."

Entre as mais de 100 pessoas que se reuniram para assistir à prova ao ar livre, mesmo ao lado do Rio Douro, sobrava juventude, incluindo novos praticantes.

"Gostei muito de ver esta prova. Estiveram muito bem. Mereciam ter ganho. São uma inspiração para nós. Quem sabe um dia não estou ali, nuns Jogos Olímpicos, a fazer o mesmo", comenta Pedro Pires, de 13 anos.

Com os pais de Fernando Pimenta e Emanuel Silva em Londres, os familiares presentes resumiam-se aos pais de Helena Rodrigues e ao pai de Joana Vasconcelos – estas atletas juntam-se a Teresa Portela e Beatriz Gomes no K4 500 sexto classificado.

"Elas fizeram uma prova magnífica. Estou muito feliz, contente e orgulhosa delas. Acho que a canoagem está de parabéns. Até pela medalha do K2. A modalidade está a dar os resultados que a família da canoagem esperava, não sei quanto aos portugueses", disse Helena Rodrigues, mãe da atleta com o mesmo nome.

Manuel Vasconcelos, pai de Joana Vasconcelos, enalteceu "a capacidade desta equipa da canoagem, que começa no esforço dos atletas e acaba na visão e dedicação dos dirigentes".

Na quinta-feira, o K2 500 Joana Vasconcelos/Beatriz Gomes disputa a final, enquanto o K1 500 Teresa Portela disputa a final B, entre o 9.º e 16.º lugares.