Descrição

Cuneyt Çakir

Foto: Odd Andersen/AFP
Polémica

Portugal desconfia de escolha de árbitro turco para jogo com Espanha

A UEFA escolheu o árbitro turco Cuneyt Çakir para a meia-final do Euro 2012 entre Portugal e Espanha. Uma escolha que caiu mal entre os responsáveis portugueses, porque as relações entre espanhóis e turcos causam suspeitas de falta de imparcialidade.


O pomo da discórdia, segundo os jornais desportivos A Bola e Record, é o facto de esta nomeação ser encarada do lado luso como reflexo da proximidade entre Angel Villar, presidente da federação espanhola de futebol e do Comité de Árbitros da UEFA, e Senes Erzik, turco e vice-presidente desse mesmo comité. Com base nesta relação próxima, acendeu-se a desconfiança entre responsáveis federativos que, a coberto do anonimato, fizeram passar para a praça pública as suas dúvidas sobre a justeza desta escolha.

O jornal A Bola vai mais longe na análise à nomeação de um árbitro turco, acrescentando que Senes Erzik é director de marketing da Unicef, tendo sido ele a estabelecer o acordo de patrocínio que liga esta entidade a um dos principais emblemas espanhóis, o Barcelona, que fornece de resto diversos jogadores à selecção espanhola.

Neste Euro 2012, o árbitro turco apitou até agora dois encontros: o Ucrânia-Suécia (2-1) e o Itália-Rep. Irlanda (2-0), ambos da fase de grupos. Foi criticado após esta última partida, pelo menos do lado irlandês, que não gostou da actuação de Çakir. Nos quartos-de-final ficou apenas como quarto árbitro do Inglaterra-Itália, que os italianos ganharam no desempate por pontapés da marca de grande penalidade.

Cuneyt Çakir, 35 anos, apitou na última época a meia-final da Liga dos Campeões entre Barcelona e Chelsea, que terminou com um empate a dois golos. O turco mostrou nessa partida um cartão amarelo a Raúl Meireles, que assim falhou a final, ganha pela equipa inglesa.

O jornal Record recorda outras participações de Çakir em encontros que envolveram portugueses, como o FC Porto-Manchester City, da Liga dos Campeões, que os "dragões" perderam em casa por 2-1; o Manchester United-Benfica, que terminou com um empate (2-2), e o Portugal-Noruega, em 2011, no estádio da Luz, em Lisboa, que terminou com um triunfo português, por 1-0.