Descrição

Proença admite que chegou ao topo como árbitro

Foto: Carl de Souza/AFP
Euro 2012

Pedro Proença destaca "honra e privilégio" de representar Portugal

O árbitro Pedro Proença, nomeado para dirigir a final do Euro 2012 entre a Espanha e a Itália, sublinhou a vontade de "provar em campo a qualidade da arbitragem portuguesa".


"Representamos a qualidade da arbitragem portuguesa e espero prová-la domingo em campo. Mostra o trabalho que temos feito no país durante estes anos. Sinto-me satisfeito e sei que este sentimento é partilhado por todos os árbitros portugueses. Vou representar Portugal, domingo", congratulou-se, entrevista ao site da UEFA.

Pedro Proença admite que, depois de ter sido nomeado também para a final da Liga dos Campeões, chegou "ao topo como árbitro".

"Vários factores motivaram a minha chegada ao topo com 41 anos. Sinto-me realmente satisfeito e privilegiado. Domingo, vou tentar honrar o meu trabalho, fazer o melhor possível e partilhar a alegria com os meus colegas de equipa", acrescentou.

O juiz lisboeta admite a "honra e privilégio" de ter sido nomeado, lembrando que "para qualquer árbitro é um dos melhores momentos da carreira".

"É um sinal do reconhecimento pelo trabalho feito neste torneio, o que nos provoca uma felicidade que tem de ser partilhada com os dois finalistas", vincou.

Proença partilhou o mérito com a sua equipa, composta ainda por Bertino Miranda, Ricardo Santos, Jorge Sousa e Duarte Gomes. "O árbitro é apenas o rosto de uma equipa. Sem estes homens fantásticos nada podia fazer. São os que, no fim de cada dia, me apoiam e dão confiança para decidir o que é melhor. Domingo será um prémio que será partilhado por muita gente, mas, mais do que tudo, pelas pessoas que estarão comigo no relvado."

O facto de já ter dirigido vários dos intervenientes na final facilita a tarefa do árbitro português, que destaca "o comportamento um pouco diferente das pessoas de origem latina, com uma linguagem corporal que nos faz compreender mutuamente".

"Entendo o comportamento dos jogadores e eles o do árbitro. Sob este ponto de vista, é mais fácil para mim", explicou, recordando ainda a vantagem da "linguagem universal do futebol".

O árbitro, que termina a prova com quatro jogos dirigidos, fala de uma "experiencia fantástica" no Euro 2012, destacando "o comportamento de todos os jogadores".

"Demonstraram um fair-play fantástico. Isso mostra o respeito que têm pelos adeptos, a multidão e as pessoas que os estão a ver na televisão. União e respeito, aquilo que as pessoas merecem, foram defendidos pelos jogadores", concluiu.