Descrição

Paulo Bento era seleccionador desde 2010

Foto: Marcos Borga/Reuters
Selecção

Paulo Bento: “Resultado injusto para aquilo que produzimos”

O seleccionador lamentou os erros que levaram à derrota (1-3) frente à Turquia.


Paulo Bento, seleccionador nacional
“Quando se perde parece que tudo foi feito de forma errada, o que não é verdade. Nada do jogo nos correu como merecíamos que tivesse corrido.”

“Pela forma como entrámos no jogo poderíamos e deveríamos ter marcado muito antes do golo da Turquia. Tivemos 20 minutos extraordinários em que poderíamos ter ficado em vantagem. Sofremos o golo, mas reagimos bem.”

“Estávamos a jogar de forma agressiva e dinâmica. Na segunda parte acabámos por consentir o segundo golo, mas conseguimos reagir a esse momento adverso. Acabámos por sofrer um golo na parte final que se junto à infelicidade, a quantidade de ressaltos que houve.”

“É obvio que cometemos alguns erros, quando se sofre três golos é porque houve erros. Num jogo onde existiram erros, fomos demasiado penalizados pelos que cometemos.”

“É um resultado injusto para aquilo que produzimos. Mas temos de continuar a acreditar.”

“Não podemos perder a esperança a cada jogo que realizamos. O apoio foi fantástico, embora na parte final do jogo já seja difícil às pessoas analisarem aquilo que é o jogo.”

Raul Meireles, médio
“A despedida que nós queríamos era com uma boa exibição. Acho que conseguimos. O resultado foi negativo.”

“Os assobios são normais, todos nós somos um pouco impacientes e quando não gostamos do resultado gostamos de mostrar o que sentimos. O público foi fantástico, o resultado é que não.”

“Ainda bem que se passou num jogo amigável. Criámos bastantes oportunidades, mas no futebol nem sempre a melhor equipa ganha, como ficou hoje provado.”

“O empate com a Macedónia e a derrota com a Turquia não vão abalar a equipa. Não há motivos para preocupação. Os portugueses podem continuar a acreditar.”

Miguel Lopes, defesa
“Estou triste pelo resultado, que é injusto. A equipa esteve bem, foi pena não finalizarmos. Mas estamos fortes.”

“Nunca é bom sofrer três golos, mas o nosso pensamento é fazer um bom Europeu. Penso que foi um pouco de azar, porque em três oportunidades que a Turquia teve fez três golos.”

“Nunca baixámos os braços e tentámos fazer golos, mas agora temos que pensar no próximo jogo. É preferível sofrer estes golos aqui que no Euro. Esperamos não repetir os erros no Euro.”